+A-A

Plantas Nativas

O Projeto Plantas Nativas Ornamentais visa a resgatar a biodiversidade urbana pelo uso da flora nativa regional. O projeto iniciou com a seleção das espécies nativas com potencial ornamental e a determinação de local e época de coleta.

Foram efetuadas 189 expedições a campo, em que se coletaram 308 espécies de plantas, das quais sete ameaçadas de extinção. Das plantas coletadas, selecionaram-se 25 espécies, cujas metodologias para propagação estão sendo prioritariamente observadas.

Pesquisas realizadas em sete das 33 Unidades de Conservação revelaram a existência de 48 plantas nativas com potencial ornamental.

Foram produzidas 142.000 mudas de plantas nativas no Horto Municipal do Guabirotuba e plantadas em parques, bosques, no Jardim Botânico, em ruas, avenidas e jardinetes, na Linha Verde e em Escolas Municipais.

Algumas plantas estão sendo multiplicadas “in vitro”, com resultados promissores para três das 25 espécies testadas. Para disseminar todo este conhecimento, foram ofertados cursos e debates gratuitos sobre diversos temas, atraindo mais de 1.000 participantes do início de 2007 até julho de 2008. Alunos das escolas municipais e a população foram impactados por ações de conscientização que contaram com material didático especialmente produzido para esse fim.

9 expedições a campo, em que se coletaram 308 espécies de plantas
Foram produzidas 142.000 mudas de plantas nativas no Horto Municipal

Plantas Exóticas Invasoras

O Programa Biocidadeinclui também um projeto destinado a substituir as espécies invasoras por nativas da floresta com araucária, com a finalidade de reduzir impactos ambientais como a competição por espaço e alimentos com as espécies nativas, a predação de espécies nativas, a disseminação de doenças e mudanças drásticas nas características dos ecossistemas.

Levantamento realizado em todas as Unidades de Conservação contabilizou quase 6.000 árvores invasoras. Sete espécies foram encontradas com maior frequência: Alfeneiro (39,75%), Pau Incenso (21,6), Pinus (10,3%), Eucalipto (9,3%), Uva Japão (8,6%) e Amora (7,3%).

Este fato motivou a elaboração e promulgação do Decreto 473/08 que trata da remoção de árvores exóticas do Município. Os parques Barreirinha, Tingui, Atuba e os bosques João Paulo II e Gutierrez foram os que apresentaram maior quantidade deste tipo de vegetação.

Nos Bosques João Paulo II e Gutierrez e no Parque Barreirinha, há presença acentuada de regeneração. Nos parques Tanguá, Bacacheri, das Nascentes do Belém e nos bosques do Trabalhador, da Boa Vista, do Pilarzinho, São Nicolau e Capão da Imbuia, já foram efetuadas ações de retirada de árvores invasoras.

O Projeto desenvolveu ações de educação ambiental por meio de curso de capacitação e peça de teatro para conscientização sobre o tema.

Principais Resultados

De dois anos para cá, por meio do Programa Biocidade, 80 mil mudas ornamentais foram plantadas em Curitiba, das quais 40 são de novas espécies, e foram erradicadas 1.000 árvores exóticas invasoras dos parques e bosques da cidade. O Horto Municipal está produzindo cerca de 80 mil mudas de espécies nativas por ano. Importante lembrar que, além dos fragmentos de florestas, parques e praças, Curitiba tem 300 mil árvores plantadas em seu sistema viário. Mais sombra, menos calor, mais sequestro de carbono. E mais passarinhos. A cidade abriga 364 espécies de aves, número maior do que ocorre em países inteiros.

  • 80 mil mudas ornamentais foram plantadas em Curitiba
  • Foram erradicadas 1.000 árvores exóticas invasoras dos parques e bosques da cidade
  • O Horto Municipal está produzindo cerca de 80 mil mudas de espécies nativas por ano
  • Curitiba tem 300 mil árvores plantadas em seu sistema viário
  • A cidade abriga 364 espécies de aves número maior do que ocorre em países inteiros